Piaget: conceitos essenciais – por La Taille

jean piaget conceitos 230x300 Piaget: conceitos essenciais   por La Taille

Conceitos principais de Jean Piaget

Se o seu objetivo atual é ser admitido em algum concurso para professores, ou mesmo participar da prova de professores, que vai ser aplicada a todos os professores do país para efetivação em cargos do magistério, o ideal é ter muita familiaridade com Piaget, seus conceitos e sua contribuição para a educação.

 

Neste post, aproveitei um vídeo muito legal que o psicólogo Yves de La Taille fez sobre Piaget para escrever alguns posts sobre o autor.

Segundo La Taille, Piaget é considerado, dentre outros autores da psicologia, como um dos mais importantes, tendo até mesmo sido chamado de Einstein da psicologia. Não é exagerado dizer que os dois maiores e mais importantes autores na psicologia são Freud, por um lado e Piaget, por outro.

 

Só lembrando, este texto é praticamente uma transcrição do vídeo, certo?

 

A importância da obra do Piaget é decorrência de vários pontos: primeiro, é decorrência da influência dessa obra durante o século XX inteiro, notadamente na psicologia da inteligência, tema essencial de Piaget. Por outro lado, a importância de Piaget vem também do volume da obra: são por volta de 70 livros, inúmeros artigos, inúmeros temas relacionados à inteligência.

 

Ele produziu bastante mesmo, não podemos ignorar seus estudos, já leu algum livro específico dele? Conforme for colocando os resumos no site, vou procurar atualizar este post para que você tenha acesso.

 

Se você deixar um comentário abaixo, dizendo qual livro prefere ver resumido primeiro, saberei por onde começar.

 

A consistência da obra de Piaget faz com que ela seja extremamente importante e o fato de a inteligência ser um tema que se encontra em qualquer abordagem psicológica acaba propiciando com que se utilize Piaget não apenas na perspectiva intrínseca da inteligência, mas também em outras como afetividade, moral e evidentemente educação.

 

Epistemologia genética para Piaget

 

A obra de Paget trata da questão do desenvolvimento da inteligência e da construção do conhecimento. Ele batizou sua teoria de epistemologia genética. Epistemologia porque é a filosofia da ciência, ou seja, a parte que estuda o fenômeno da ciência do conhecimento e genética significa uma epistemologia da construção do conhecimento.

 

Genética não deve ser entendido no sentido habitual de genética, como cromossomos por exemplo, mas de gênese, ou seja, de evolução.

 

Sua obra chama-se epistemologia genética e visa responder a uma pergunta básica: “Como os homens constroem o conhecimento?” ou seja, como eles passam de um nível de conhecimento X para um nível de conhecimento X+1. Essa grande pergunta que Piaget tentou respoder, durante toda sua vida.

 

Como a criança é o ser que mais constrói conhecimento, ele fez essencialmente pesquisa com crianças, mas a sua pergunta não é de psicologia da criança. A sua pergunta é uma pergunta epistemológica “Como é que os homens, sozinhos ou em conjunto, constroem conhecimento?” Que processos, por quais etapas, eles conseguem fazer isso?

 

A obra dele é essencialmente baseada na inteligência e na construção do conhecimento.

 

Inteligência para Piaget

 

Para Piaget, inteligência deve ser definida enquanto função e enquanto estrutura.
Enquanto função, para Piaget, a inteligência é uma adaptação, ou seja, os processos da inteligência tem a finalidade do sujeito sobreviver, adaptar-se ao meio, modificar o meio para adaptar-se melhor a ele. Essa é a função da inteligência.

 

Do ponto de vista estrutural da descrição da inteligência. A inteligência é uma organização, ou seja, a inteligência é uma organização dos processos que permitem, se a organização for complexa, um nível de conhecimento mais complexo: superior, um nível de organização menos complexa, um nível de conhecimento inferior.

 

A inteligência é uma organização e o crescimento da inteligência não se dá por acúmulo de informações, mas sobretudo por uma reorganização da própria inteligência, ou seja, crescer é reorganizar a própria inteligência para ter mais possibilidades de organização.

 

Assimilação para Piaget

 

Esse conceito, Piaget retira da biologia e, na sua psicologia, assimilação é descrita pelo professor La Taille da seguinte maneira: quando uma pessoa entra em contato com o meio, com o objeto de conhecimento, retira desse objeto algumas informações. Essas informações retidas se constituem de uma maneira, diferente de outra possibilidade, pelo fato de existir uma organização mental.

 

Na verdade, assimilação significa interpretação, ou seja, ver o mundo. Não é simplesmente olhar o mundo, mas é interpretá-lo. Assimilar, ou seja, apropriar-se de alguns elementos do mundo, portanto, isso implica necessariamente em assimilar algumas informações e deixar outras de lado.

 

Acomodação para Piaget

 

Outro conceito central na obra de Piaget é o conceito de acomodação.
Acomodação, nas palavras do professor, pode ser entendida da seguinte maneira: as estruturas mentais – entende-se estruturas mentais a organização que a pessoa tem para conhecer o mundo – são capazes de se modificar para dar conta das singularidades do objeto.

 

Se juntarmos assimilação e acomodação, veremos que conhecer um objeto é assimilá-lo, mas como esse objeto oferece certas resistências ao conhecimento, a organização mentalse modifica e a esse processo de modificação dá-se o nome de acomodação.

 

O processo de inteligência, na verdade, é sempre um processo de assimilação com acomodação.

 

Equilibração para Piaget

 

Como o próprio nome diz, equilibração indica a ideia de equilíbrio, ou seja, o sujeito que entra em contato com o objeto novo pode ficar em conflito com esse objeto novo, no sentido de “desequilibrado”.

 

Equilibração serve como uma metáfora: o objeto não se deixa conhecer facilmente, ele tem algumas coisas diferentes, singulares, então, o sujeito fica em conflito, desequilibrado. Para conhecer esse objeto ele tem de acomodar-se a esse objeto, ou seja, modificar-se para dar conta desse objeto e esse processo é a busca de equilíbrio, então, o equilíbrio, na verdade é a estabilidade da organização mental que dá conta do conhecimento.

 

O fato de o conceito de equilibração ser central se dá pelo fato de o processo de crescimento da inteligência se dar pelo desequilíbrio e reequilíbrio do sujeito e suas estruturas cognitivas. É um processo dinâmico, por isso Piaget gosta da palavra equilibração e não equilíbrio.

 

Equilíbrio daria a impressão de algo estável, equilibração sugere algo móvel e dinâmico.

 

Abstrações empíricas e reflexivas para Piaget

 

Para Piaget conceitos não essenciais, mas para nós, não tão conhecidos, são os conceitos de abstrações empíricas e abstrações reflexivas. São centrais em Piaget pela seguinte razão: abstrações empíricas são as informações que eu retiro do meu objeto do conhecimento, eu olho um quadro e abstraio desse quadro algumas informações. É empírica, pois estou retirando essa informação do objeto do conhecimento.

 

Nesse processo, porém, posso pensar na minha maneira de me relacionar com esse objeto de conhecimento. A abstração reflexiva é justamente as informações que eu retiro, não do objeto de conhecimento, mas da ação sobre esse objeto.


Por exemplo, se eu pego um livro e peso esse livro depois comparo esse livro com um mais pesado ou menos pesado, faço uma abstração empírica: o peso dos livros. Faço também, uma abstração reflexiva que é o fato de eu estar comparando o peso dos dois livros. Pensar sobre o meu agir é uma maneira de fazer abstração reflexiva.

 

Para Piaget, a construção do conhecimento se dá a partir da criança pensar sobre o mundo e pensar sobre a sua ação sobre o mundo, ao que se chama de abstração reflexiva.

 

Estágios para Piaget

 

O conceito mais famoso em Piaget para o professor La Taille é o conceito de estágio.

 

Creio ser também a forma como eu primeiramente entrei em contato com Piaget. O conceito de estágio remete em Piaget à ideia de que o desenvolvimento da inteligência não é um desenvolvimento linear, ou seja, simplesmente por acúmulo de informação, mas é um desenvolvimento que se dá por saltos, por rupturas.

 

Os estágios representam justamente uma lógica da inteligência que será superada radicalmente por um estágio superior apresentando outra lógica do conhecimento. Os estágios significam que a inteligência dá saltos.

 

A inteligência muda de qualidade, cada estágio representa uma qualidade dessa inteligência, os estágios significam também que a sequência do desenvolvimento da inteligência passa por esses estágios, nenhum deles pode ser pulado.

Os estágios podem se divididos de várias maneiras, depende da fineza, depende da complexidade que a gente quer dar à questão, mas os grandes estágios que Piaget definiu foram três: Primeiro estágio chamado de sensório-motor (0-24meses), segundo o pré-operatório (2 a 7 anos), e por último o operatório (7 anos em diante). Dentro do estágio operatório, Piaget fez uma divisão entre operatório concreto (7 a 12 anos) e operatório formal (12 anos em diante).
Em um próximo post continuaremos com as discussões sobre Piaget, baseados no depoimento do professor Yves de La Taille. Deixe um comentários sobre suas dúvidas em relação ao autor, assim podemos melhorar este post ou os próximos.

 

Se quiser tirar a prova sobre suas habilidades em questões de concurso sobre Piaget, dá temos um quiz com algumas. Só clicar aqui e seguir testar seus conhecimentos.

 

Não se esqueça de compartilhar este artigo com os amigos nas redes sociais icon wink Piaget: conceitos essenciais   por La Taille

 

Related posts:

  1. Conhecimentos pedagógicos – Delia Lerner 2
  2. Conhecimentos Pedagógicos – Telma Weisz
  3. Estudar por resumos
  4. Conhecimentos pedagógicos – Julio Groppa Aquino

Author: Rosana Rogeri

Professora, apaixonada pela educação em todas as suas vertentes, corredora ocasional, que nunca foge de uma boa briga...

Share This Post On